MARCO ZERO



Minha memória voeja em sua busca,
Te caça, te acha e traz de volta.
Me pego e apego às lembranças contidas
De um passado tão presente e singular.
Sinto tanto a sua falta como se me falta o ar!
À distância e inimiga e cruel teima em
Separar corações unificados.
Duas almas presas em doação pelo laço invisível
E inquebrável do amor.
Vivendo cada segundo contado e aguardado,
Confiando o momento que embora findo,
Inicia-se no ponto tal.
Agarrando-se ambos em cada lado na suprema
E silenciosa decisão do soberano que decreta e marca,
Na imensa sabedoria a hora, o ponto e o lugar da
Almejada união.

3 comentários:

José Manuel (Richard Stovinky) disse...

Hermosa exposición . Gusto bello de pensar y sentir . Abrazo .

José Manuel (Richard Stovinky) disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blog.
Lamarque disse...

lindo espaço parabens. ótimo. abraços lamarque