SEM RUMO!



Ah! Como eu queria agora ter a leveza de uma lembrança
Trazida pela emoção despertada
Eu queria ter a força de um furacão devastando pensamentos
Levando o princípio de sinais doridos de seios cravados
Eu queria ser beleza de um vulcão,
Jorrando sua incendiária lava no oceano e
Construindo terras férteis de confiança.
A profundidade azul do céu e o contrastante
Branco das nuvens que mesmo tão diferentes carregam no ar
A humildade de simplesmente existir.
Quem sabe talvez a velocidade de um pássaro
Rumando de encontro ao verão na distância de um beijo encolerizado.
Ah! Como eu queria agora flutuar nas mansas águas de um oásis
Tendo como fundo o doce mel dos seus olhos.
Pairar por sobre o veludo cálido da pele em chamas ou
A corrente gélida e pesada de uma  chuva torrencial.
Vagar no desértico cume de montes invisivelmente
Marcados pela mão forjada da dor.
Eu queria ser o verbo apropriado da palavra ao
Soar o meus mais íntimos segredos, meus ais,
Revelando assim o que mais cala dentro de mim.



4 comentários:

Rita de cassia Souza disse...

Parabéns minha amiga !
lindo o seu poema amei ler .
Muita inspiração e um beijo no seu coração.

Dídimo Gusmão disse...

Parabéns!
Seu blog é bonito, e seus textos maravilhosos!.
Gostei muito. Voltarei sempre.
Abraços...

http://didimogusmao.blogspot.com.br/

José María Souza Costa disse...

Um poema Harmonioso. Agradavel. Enamorante e encantador. Estou lhe deixando um convite
Passei por aqui, para lê o seu blogue.
Admirável. Harmonioso. Eu também estou montando um. Não tem as Cores e as Nuances do Vosso. Mas, confesso que é uma página, assim, meia que eclética. Hum... bem simples, quase Simplória. E outra vez lhe afirmo. Uma página autentica e independente. Estou lhe convidando a Visitar-me, e se possível Seguirmos juntos por Eles. Certamente estarei lá esperando por você, com o meu chapeuzinho em mãos ou na cabeça.
Insisto que vá Visitar-me, afinal, o que vale são os elos dos sorrisos.

www.josemariacosta.com

Dulce Morais disse...

A poetisa queria ser tanta coisa para demostrar o seu sentimento, mas é poetisa e assim encanta o leitor com versos mágicos e belos!